Matéria - MINHA VIAGEM AO URUGUAI - Capital - Montevidéu - PARTE 1

MINHA VIAGEM AO URUGUAI - Capital - Montevidéu - PARTE 1

01/05/2017

Eu e meu grupo estivemos visitando e conhecendo o Uruguai, visitamos sua capital, o famoso morro de Santo Antonio com sua linda vista em Piriapolis ( Balneário), Casa Pueblo e Punta Del Leste. Foram 4 dias maravilhosos. Hospedados na Capital, visitamos em um tour todos seus pontos turísticos mais importantes, praças, ruas,avenidas, edifícios majestosos, parte antiga, cais, porto e em uma das noites tivemos a sorte de ir na casa mais famosa de show , o Milengon, onde divide a noite em partes, jantar com bebidas, e um rico show com um pouco do folclore, cultura e tango. Vale a pena ir. Também ficar sem almoçar em um dos restaurantes do Porto, comer uma Parrilha ou seu chorisso especial não é conhecer o Uruguay. Saiba um pouco da Historia de Montevidéu ; nasceu de um pequeno povoado de índios tapes e imigrantes das Canárias, radicados em torno de um forte construído, em 1723, por ordem de Bruno Mauricio de Zabala, governador espanhol de Buenos Aires, para manter as tropas portuguesas de Manuel de Freitas da Fonseca fora do Rio da Prata.[2] Em 1726, adquire estatuto de cidade. No século XVIII, o crescimento de Montevidéu foi estimulado pela liberdade de comércio direto com as cidades espanholas, declarada por Carlos III em 1778. Além disso ela era o centro de exportação dos produtos da pecuária do interior da província e realizava trocas comerciais com Buenos Aires. Foi a partir dela, inclusive que partiram os navios espanhóis para libertar Buenos Aires, tomada pelos britânicos em 1806 e graças a isso foi também ocupada durante sete meses. Após a conquista da Espanha por Napoleão Bonaparte e a prisão do rei espanhol, a junta de governo de Buenos Aires declara a independência do Vice-reinado do rio da Prata, mas em Montevidéu forma-se uma outra junta favorável à cisão. A disputa entre as duas cidades levou Montevidéu a enviar tropas da Espanha posteriormente e a ser retomada em 23 de Junho de 1814. Conquistada por Portugal em 1817, tornou-se capital da Província Cisplatina do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarve em 1821. Pertenceu ao Brasil durante o reinado de D. Pedro I, chegando a receber o título de Imperial Cidade através do alvará de 15 de abril de 1825,[3] mas logo conquistou a sua independência na chamada Guerra da Cisplatina, em que recebeu o apoio da Argentina. Com a independência (1828) passou a ser capital do Uruguai. Após a independência, a cidade foi palco de disputas políticas internas entre 1843 e 1851 na chamada Guerra Grande, contudo a partir da metade do século XIX, vê grande urbanização, crescimento populacional e industrial.[2] Montevidéu recebeu no início do século XX um contingente de imigrantes italianos e espanhóis e logo em seguida, a partir da década de 30, de pessoas vindas do interior do país atraídas pelo crescimento da economia. Montevidéu (português brasileiro) ou Montevideu (português europeu) (pronunciado, respetivamente: [mõtevi?d?w] e [mõt?vi?dew]; em castelhano Montevideo, pronunciado: [monte?i?ðe.o]) é a capital e maior cidade do Uruguai. É também a sede administrativa do Mercosul, da ALADI e capital do departamento homônimo, o de menor extensão entre os dezenove existentes no país. Localiza-se na zona sul do país, às margens do rio da Prata e é a cidade latino-americana com a maior qualidade de vida[1] e se encontra entre as 30 cidades mais seguras do mundo. Em 2004, possuía uma população de aproximadamente 1 325 968 habitantes. Porém, considerando a sua área metropolitana, Montevidéu alcança 1 668 335 habitantes, aproximadamente metade da população total do país. A cidade se encontra em uma zona geográfica que se caracteriza como a rota principal de movimentação de cargas do Mercosul. Por sua vez, conta com uma baía ideal que forma um porto natural, sendo o mesmo o mais importante do país, pela qual saem e entram as mercadorias que se importam e se exportam. ( dados extraídos da Wikipédia - enciclopédia livre) Nossa viagem contou com o apoio total da equipe e de Cristina Gutierres da Agencia de Turismo Estação Amparo., e este guia para proporcionar aproveitar todos as horas que lá estivemos juntos.