Matéria - CORDISBURGO - MG - GRUTA E MAQUINÉ E AS ATRAÇÕES DA CIDADE - MUSEU E PORTAL DE GUIMARAES ROSA

CORDISBURGO - MG - GRUTA E MAQUINÉ E AS ATRAÇÕES DA CIDADE - MUSEU E PORTAL DE GUIMARAES ROSA

01/03/2017

A Gruta foi descoberta em 1825 pelo proprietário das terras na época, o fazendeiro Joaquim Maria Maquiné, o local é aberto a visitação desde 1908 e atualmente, dados divulgados pela Superintendência Estadual de Museus e Artes Visuais de Minas Gerais, em 2013, apontam que cerca de 48 mil pessoas por ano vêm conhecer a magnitude da gruta.Na entrada da gruta uma coruja na rocha recebe os visitantes. Com iluminação de led, cada salão da gruta apresenta ao visitante uma forma diferente. As formações calcárias lembram animais, castelos e até mesmo uma caveira.O dinamarquês Dr. Peter Wilhelm Lund, foi o primeiro a entrar na gruta, em 1834, para realizar uma exploração científica e mostrar ao Mundo as belezas naturais do local. Os sete salões apresentam no total 650 m lineares e desnível de 18 m. Além disso, a iluminação e as passarelas proporcionam aos visitantes desfrutarem das belezas da gruta onde todo percurso é acompanhado por um guia local.A evolução da ação das águas sobre a rocha calcária sofrem desgastes e por meio da dissolução se formam galerias subterrâneas chamadas de cavernas. Repleta de ornamentos naturais, a Gruta do Maquiné apresenta um dos mais belos conjuntos de estalactites, estalagmites, colunas, cortinas e represas de travertino. Eu pude ver in loco toda essa maravilha e captar fotos de alguns angulos..sem palavras desta obra da natureza. Após fomos comer um banquete mineiro no restaruante ao lado da gruta. Gente imperdivel..nao deixe de provar tudo do torresminho..o tutu, a galinha ao molho pardo e bife de vaca. Depois fomos visitar o portal da cidade, onde há um monumento ao grande escritor Guimaraes Rosa, cena dos Sertoes. A pequina e secular igreja de São José, e o museu casa deste grande escritor.O grande atrativo de Cordisburgo é a Gruta do Maquiné , que recebeu a classificação três estrelas, a mais alta do gênero em todo o mundo. O cientista dinamarquês, Peter Lund, que encontrou a gruta, assim a descreveu: 'nunca meus olhos viram coisa tão bela e magnífica nos domínios da natureza e da arte'. E isso foi dito sem que Lund tivesse a chance de ver seus contornos e seus belos espeleotemas sob a iluminação especial que nela existe hoje. Passarelas possibilitam a exploração segura de sete salões e todo o percurso é acompanhado por guia local. Cordisburgo é também conhecida como a terra natal do escritor João Guimarães Rosa , autor de obras-primas como Sagarana e Grande Sertão Veredas. A homenagem da cidade ao importante escritor fica por conta do Museu Casa Guimarães Rosa, uma edificação do século 19, onde o autor passou parte de sua infância. Lá é possível apreciar fotos, documentos e variados textos produzidos pelo grande mestre. A cidade, além de possuir outras grutas como a Morena e a do Salitre, proporciona boas caminhadas em lugares cercados por poços e lagos como o Poço Azul e a Lagoa Jaime Diniz.A história de Cordisburgo tem seu início com o Padre João de Santo Antônio. Nascido em 1824, no distrito de Morro Vermelho, Caeté, estudou e ordenou-se no seminário de Mariana, onde exerceu o magistério. Ali, Padre João se tornou um grande devoto do Sagrado Coração de Jesus, devoção essa difundida em Minas Gerais pelo primeiro bispo da Capitania das Minas, D.Frei Manuel da Cruz. Designado missionário por D. Viçoso, Padre João de Santo Antônio percorreu quase toda Minas Gerais, de 1860 a 1880 .No início da década de 80, comprou a Fazenda do Melo por dois contos de réis. Era um desejo antigo do padre ter um local onde pudesse dedicar e exercitar a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. “Aos 21 de agosto de 1883, vim dar começo à fundação da povoação da Vista Alegre, começando por edificar uma capela ao patriarca São José...” Essa capela é que deu origem à cidade de Cordisburgo, pois, ao seu redor, Padre João foi distribuindo os lotes. Em 1884 a capela já estava pronta e uma imagem do Sagrado Coração de Jesus, vinda da França, chegou ao local que passa a ser conhecido por Coração de Jesus da Vista Alegre.Em 1885 era a vez de dar início à construção da Matriz, que foi inaugurada em 1894 pelo primeiro arcebispo de Mariana, D. Silvério Gomes Pimenta. Padre João, então com setenta anos, pode, com regozijo, ver seu sonho realizado. Dez anos após, a Diocese de Diamantina recebeu como doação de Padre João de Santo Antônio 40 alqueires de terra. Depois, se recolheu à comunidade de Macaúbas, em Santa Luzia, onde faleceu. Nessa época (junho de 1890), já tinha sido criado o distrito com nome de Cordisburgo da Vista Alegre e a localidade já possuía uma estação telegráfica. A estação central foi inaugurada em 1904 e, em 1917, os franciscanos assumiram a responsabilidade da paróquia.Pelo decreto-lei nº 148, foi criado, em 1938, o município de Cordisburgo. O nome Cordisburgo é uma palavra híbrida formada por cordis do latim, coração e burgo, do alemão, cidade. Daí o significado – Cidade do Coração.( dados SENAC DE MINAS GERAIS).